Fases do Tratamento de Dependência Química


Fases do Tratamento de Dependência Química

As fases do tratamento de dependência química são atravessadas por vários sentimentos. É um processo longo, difícil e cheios de desafios. O dependente químico precisa ter paciência consigo mesmo para entender essas fases. Precisa compreender que, por mais difícil que sejam, todas essas fases vão passar. E sairá muito mais fortalecido de casa uma dessas fases.

As fases do tratamento de dependência química são compostas por alguns estágios. Cada uma delas possui suas particularidades e especificidades. A quantidade de fases bem como seus nomes se diferenciam de acordo com a visão da clínica de reabilitação. Mas na essência, todos os dependentes químicos passeiam por essas fases com seus sofrimentos e angústias. Aqui serão abordados 4 fases.

1.Fase da desintoxicação

É preciso de muita paciência para passar por todas as fases do tratamento de dependência química. Nesta primeira fase não é diferente. A fase da desintoxicação, é o período para limpar o organismo de toda a substância química da droga. Não é um processo fácil tirar do corpo uma substância que ele já está acostumado. A intervenção médica será feita de maneira intensiva através de avaliações para o controle da saúde física.

Porém, para atravessar todas as fases do tratamento de dependência química com sucesso é preciso da ajuda dos psicólogos. Nesta primeira etapa a intervenção psicológica é mais importante ainda. Esses profissionais irão auxiliar o dependente químico a encarar o tratamento como uma nova fase em sua vida. Com as sessões de terapia o sujeito ficará fortalecido para enfrentar a doença de maneira firme e responsável.

2.Fase do apoio e motivação

Em todas as fases do tratamento de dependência química é fundamental que o indivíduo não se sinta sozinho. O organismo está acostumado com a presença da droga. Por isso, em certos momentos o dependente poderá sentir a necessidade de consumir a droga novamente. Quando isso acontecer é fundamental que ele receba motivação para não ceder a tentação. Ele precisa receber palavras de apoio.

Neste sentido, a família precisa entender que o dependente perdeu o controle sobre o uso de drogas. Ele não tem forças para vencer o vício sozinho. Essa força e esse apoio deverá vir da família, que é o primeiro núcleo social que o indivíduo se insere. A família precisa enxergar o dependente com olhos de compreensão e não de punição. Ele precisa se sentir acolhido para que possa prosseguir com o tratamento.

Entretanto, sabe-se que a relação entre a família e a dependência química, pode ser uma relação complicada. Infelizmente, muitas famílias não sabem como lidar com um familiar dependente e acabam por excluir o sujeito de suas vidas. Nestes casos, é imprescindível que o depende conte com o apoio da pessoa mais próxima. Não importa se for familiar ou não. O importante é que essa pessoa queira o bem do dependente.

3.Fase da reabilitação

Dentre todas as fases de tratamento da dependência química , a fase da reabilitação é a mais crítica. Isso porque, a fase demanda esforço, dedicação e atenção. É nessa fase que o dependente precisará mais do que nunca do apoio dos familiares. Mas não só o apoio da família. O amparo da equipe profissional também será de grande importância nesse momento. A equipe precisa criar um vínculo com o sujeito e oferecer suporte.

Na fase da reabilitação é o período que o dependente terá que cumprir todas as atividades recebidas pelos profissionais. O objetivo é reabilitar todas as áreas do sujeito. Com essas atividades o dependente se torna apto para voltar ao trabalho, ao estudo, aos passeios. Um dos objetivos do tratamento da dependência química é justamente habilitar o indivíduo para retormar suas atividades do cotidiano.

4.Fase da manutenção

A dependência química é uma doença que não tem cura. O foco do tratamento é dar autonomia para o sujeito a fim de que ele controle a necessidade de utilizar a droga. Essa dependência quase que irreversível é causada por diversos fatores. Mas o principal a influenciar é que uma vez liberada no fluxo sanguíneo, a droga muda as células do organismo.

Desta forma, mesmo que o indivíduo fique anos sem consumir drogas, ao utilizar novamente, o consumo será descontrolado. Assim, a fase da manutenção nada mais é do que o acompanhamento do indivíduo. É evitar estar em locais onde se sabe que terá a presença da substância química. E se necessário, procurar ajuda médica novamente para evitar as recaídas.

Entramos em contato

Aceitamos diversos planos de saúde consulte
Planos de saúde
Podemos Ajudar?